“Laca” você mesmo!

Depois que iniciamos a jornada para separar as meninas de quarto, decidi que iríamos laquear os móveis em cores diferentes e dividi-los entre as duas. São 2 cabeceiras, 2 criadinhos e uma escrivaninha.
Como a gente, eu, só tenho tempo de correr atrás destas coisas no final-de-semana, fomos ao Leroy Merlin cheios de esperança de encontrar respostas pras nossas perguntas. Ledo engano. Era domingo, estava calor, as meninas piraram na cartela de cores por mais que eu tivesse tentado decidir com elas antes e escolher uma paleta mínima pra cada.
Tinha muita gente e o vendedor não fazia idéia do que era laca. Só me mostrou a base Nitro da Sayer Lack e disse que não fazia tinta automotiva. Enquanto isso, marido era enganado na sessão de compressores. Saímos de lá com a tal base nitro, estopa, thinner, aguarrás, esmalte sintético coral e um arremedo de compressor da Wagner. 700 reais mais pobres e cheios de esperança.

Não deu certo. Voltei na semana seguinte e troquei o compressor por um igual ao do Léo.
Mantivemos a base e as tintas. O esmalte arrepiou sobre a base nitro e não secou nunca mais. Era esmalte sintético comum, não o automotivo.

Aí, então, decidi que não ia mais no Leroy pedir opinião. Fui na Casa Diamante, aqui em Campinas, lá eles fazem tinta automotiva.
Falei que queria laquear uns móveis e que tinha a base nitro ( de nitrocelulose). E reclamei também que o esmalte sintético que eu tinha comprado não secava nunca.
Saí de lá com tinta automotiva laca ( base de nitrocelulose, como o primer), lixa d’água 1200, massa para polir carros, thinner específico para a tinta que levei e catalisador pra adicionar no resto de esmalte da cabeceira da Penélope e nos criadinhos. E sem a menor idéia de onde íamos parar. E menos 200 reais na conta.

Compressor novo, leia as instruções de uso antes de começar.

Compressor novo, leia as instruções de uso antes de começar.

As cabeceiras das meninas são pesadas, com os pés em madeira maciça, torneados e sulcados e as curvas do painel em MDF. Tinham aplicação de flores em resina, que arrancamos. Lixamos a peça, corrigimos imperfeições com massa para madeira F12, antes de pintá-las.

As cabeceiras das meninas são pesadas, com os pés em madeira maciça, torneados e sulcados e as curvas do painel em MDF. Tinham aplicação de flores em resina, que arrancamos. Lixamos a peça, corrigimos imperfeições com massa para madeira F12, antes de pintá-las.

faz névoa, viu! Sai daí, Diana! Hahaha! A distância de trabalho é de 20 a 30cm, sobrepondo em 50% as camadas.

faz névoa, viu! Sai daí, Diana! Hahaha! A distância de trabalho é de 20 a 30cm, sobrepondo em 50% as camadas.

Os produtos que usamos para laca: base nitro Sparlack; laca de nitrocelulose feita na loja (casa diamante) e thinner automotivo. Náo precisa ser da mesma marca, tudo. O importante é que seja tudo compatível com o processo escolhido, tanto o fundo ( ou base ou primer) quanto a tinta.

Os produtos que usamos para laca: base nitro Sparlack; laca de nitrocelulose feita na loja (casa diamante) e thinner automotivo. Náo precisa ser da mesma marca, tudo. O importante é que seja tudo compatível com o processo escolhido, tanto o fundo ( ou base ou primer) quanto a tinta.

Marido obstinado lixou o esmalte base água que tínhamos aplicado na cabeceira da Cleo e, vamos lá! Laca nela!
Saio na garagem e vejo meu amor, com a cabeceira rosa, a mangueira e a lixa d’água! Eu me desesperei!!! Vai MOLHAR a cabeceira?!?! É de madeira!!! Mas ele vê muitos programas de carro e garantiu que sabia o que estava fazendo. Eu corri pra este mundão de Google sem fim, pra descobrir realmente como fazia a tal da laca de carro em móveis, com tinta laca. Caí numa discussão num portal de marceneiros onde um senhor descrevia realmente assim o processo:
Base Nitro, lixa, base nitro;
Laca, lixa d’água molhando, laca, lixa d’água molhando, laca, lixa d’água… 3 a 6 vezes;
Se for cor clara, apenas polir com massa de carro pra dar o brilho; se for cor escura, pode aplicar verniz pra laca.
E foi o que fizemos.
A cabeceira da Cleo taí, laqueada e polida.

cabeceira de Cleópatra, nossa laca pronta.

cabeceira de Cleópatra, nossa laca pronta.


penteadeirinha da Cleo, em laca fosca e adesivo vinílico nas gavetinhas.

penteadeirinha da Cleo, em laca fosca e adesivo vinílico nas gavetinhas.

A da Pê, misturamos o catalisador no resto de esmalte da cor. Secou e tá brilhante. Mas é uma cabeceira esmaltada à base de muitas cabeçadas. Não foi esmalte automotivo. Assim como os criados.

cabeceira da Penélope, tipo laca, mas é esmalte normal. Ficou ótima, na verdade!

cabeceira da Penélope, tipo laca, mas é esmalte normal. Ficou ótima, na verdade!

cabeceira esmaltada

criado-mudo. Veio da antiquário para o quarto antigo. Já tinha recebido pintura branca, antes. Foi lixado, primer, esmalte coral, normal, não automotivo.

criado-mudo. Veio da antiquário para o quarto antigo. Já tinha recebido pintura branca, antes. Foi lixado, primer, esmalte coral, normal, não automotivo.

Considerações sobre o processo:

1) não saia de casa sem saber o que comprar, você vai perder dinheiro e tempo;
2) laca de nitrocelulose seca rápido, mas tem que ficar lixando com água entre as demãos;
3) use a base ou primer de acordo com a tinta automotiva que escolher ( há 3 opções: esmalte sintético automotivo, laca automotiva e esmalte poliuretano, vulgo PU, que precisa de catalisador também);
4) o Leroy não tem nenhuma destas tintas e os vendedores sabem menos que você após ler este post;
5) o Léo tinha razão o tempo todo, e o processo dele parece mais rápido e econômico embora o esmalte sintético automotivo demore mais pra secar ( talvez use esta técnica na escrivaninha da Pê);
6) talvez não precisássemos de laca, mas apenas mudar as meninas de quarto, segundo marido…
E você, quer entrar, ver como ficaram os quartos delas?! Ainda não estão prontos!!! 😦

Anúncios

15 comentários sobre ““Laca” você mesmo!

    • Oi, Raquel! Foi confuso pra gente, também… Na primeira vez, compramos um esmalte sintético comum, da Coral, que não é pra laca. E uma base (primer) Nitro da Sparlack. Depois comprei laca automotiva adequada pra esta base, mas tive que mandar fazer, na loja. Laca de nitrocelulose é conhecida também como tinta Duco, que foi o primeiro fabricante. Há outros 2 tipos de tinta automotiva: PU e esmalte sintético, que ainda não usei. Obrigada por ter escrito! Volte sempre! Beijo.

  1. Olá Diana, cheguei a seu blog por seu Instagram,que já estou seguindo, e adorei o post e da indicação do ‘casa que minha vó queria’ porque estou querendo comprar um compressor, pois como vocês, aqui gostamos muito do faça você mesmo, principalmente eu……obrigada….

  2. boa tarde, muito triste, pois tinha guardado o post da Casa da vó e e simplesmente sumiu… achei vcs e por aqui também tentei lincar para lá e puxa vida provavelmente tiraram o post… Uma pena pois tudo lá era muito bem explicado… Espero que meu esposo entenda o processo, pois tenho muitas peças para laquear, se encontrar o post, por favor nos conte… rs

  3. Wanessa Lana disse:

    Boa noite
    Tira uma duvida sobre o processo:
    1º Prime automotivo
    2º Tinta laca auto ?

    Sabe me dizer se a tinta PU funciona no prime automotivo ? iria fazer essa perguntar ao vendedor, mas diante do seu relato fiquei insegura .

    • Oi, Vanessa! Funciona, sim! Aí é aquele primer cinza, dá certo, sim! Já usei tinta PU sobre o primer inclusive com pincel, nos pés palito das poltronas que estão no post embaixo da escada! Dá certo! Depois me mostra?! Um beijo!

  4. Sandra disse:

    Olá!!!! Adorei seu post. Só fiquei na dúvida de qual tinta/processo escolher. Uso a laca automotiva ou esmalte sintético automotivo? Qual é mais fácil? Qual dá o efeito mais bonito ? Já tenho um compressor.
    Se vc fosse fazer o processo qual tinta escolheria?
    Quero laquear uma mesa de jantar na cor azul brilhante.

    • Sandra, obrigada! Fizemos várias técnicas aqui em casa… Como eu comprei uma quantidade grande de laca na época, usei mais esta técnica, que foi aplicada na penteadeirinha e na cabeceira da Cleo e na escrivaninha da Penélope. A laca tem um acabamento bem liso, porém acetinado. Na escrivaninha, por exemplo, passamos verniz por cima. Então se vc quer acabamento brilhante, escolha esmalte sintético ou PU, é uma etapa a menos. O PU precisa de catalisador na mistura, mas seca super rápido e é um pouco mais caro. O esmalte sintético, ao demorar mais pra secar, pode grudar algumas partículas em suspensão, já que não temos uma cabine de pintura no modo caseiro.
      Qualquer coisa que eu puder te ajudar, estou sempre aqui!
      Seja bem-vinda aqui em casa!
      Um beijo!

  5. VALERIO FELIX disse:

    Olá Diana, gostei muito de compartilhar as soluções encontradas por vocês com pouca orientação on-line. Fiquei em dúvida com relação o uso de água, dá para explicar mais detalhado?

  6. Estou encantada com tudo que vi e li. Mas, como as outras tenho muitas dúvidas. Tenho uma comoda antiga que era da minha tia. Já lixei e passei uma demão de branco para tirar a cor escura. Mas, quero laquear. Minha flor, se possível daria para você me envia uma sequência para fazer e a lista de material? Agradeço desde já. Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s