Uma cadeira ombré e uma escrivaninha diva!

Decoração pra mim é que nem maquiagem… Não adianta ficar retocando! Quantas vezes já me atrasei porque um olho ficou diferente do outro, ou um cílio postiço caído e o outro levantado?! E laca é que nem olho preto esfumado… Não deu certo?! Tire tudo e faça de novo! E ombré é esfumado.
Com a cadeira da Penélope não foi diferente.
Fiz o quarto das meninas em 2008, quando Cleópatra saiu do berço. Desenhei as cabeceiras e escrivaninha. Na época, a mulher que se aventurou comigo fazia móveis rústicos em madeira e achamos um artesão que torneasse os pés, outro que sulcasse outro que pintasse ( pedi laca, mas ele pintou de branco, mesmo…) e quando chegamos na cadeira, já estávamos tão cansadas de tanto vai e vem pela cidade com pedaços de madeira, que demos graças por ter achado uma fábrica de cadeiras.
Comprei crua, de Leme, interior de SP. Foi pintada, estofada com um tecido escolhi na amostra do tapeceiro e preguei florezinhas de resina com cola branca que eu mesma pintei. E funcionou. Por anos.
Agora fala pra mim que espécie de mãe louca desenha uma escrivaninha toda provençal com suporte pra CPU pra 2 meninas de 2 e 4 anos?! Hahahahaha!

Escrivaninha arrumada, lembram? Aí à esquerda o suporte pra CPU

Escrivaninha arrumada, lembram? Aí à esquerda o suporte pra CPU

 

Com o tempo, com o uso, com a bagunça… o pé da cadeira foi roçando no suporte pra CPU e fico todo ralado. O tampo da escrivaninha tinha cedido um pouco. A caixaria e as corrediças realmente tinham deixado a desejar. Então começamos pelo começo com a escrivaninha: arrancamos esta mini-prateleirinha lateral e mandamos pro marceneiro reformar a caixaria das gavetas maiores e substituir as corrediças por outras, telescópicas.

Enquanto isso, lutei com a cadeira, tentando pintá-la com o compressor a cadeira forrada de sanito, o diário de um drama está aqui. Obviamente não deu certo por causa do escorrimento. Decidi, então trocar o tecido da cadeira. E começar pelo começo, ou seja, mandar no estofador pra ele remover o tecido antigo e me entregar a peça pelada pra pintar.

Pois bem. O caso da escrivaninha. Consertou no marceneiro a caixaria. Laqueamos segundo nosso super processo caseiro: lixa, massa, lixa, primer, lixa, tinta laca, lixa d´água, verniz.

As fotos da aplicação da laca não ficaram boas pela névoa que causa… Mas tem um mini-PAP aí embaixo, pra quem ficou com alguma dúvida no primeiro post da laca. Usamos base Nitrocelulose e laca nitrocelulose. A cor foi verde Capri da Ford. Se você reparar bem, já viu um corcel da cor desta escrivaninha… 😛

Nossa cabine de pintura. Fazemos laca caseira na garagem. Lona plástica na parede e no chão.

Nossa cabine de pintura. Fazemos laca caseira na garagem. Lona plástica na parede e no chão.

 

Tiramos os apliques em resina e... lixa nela!

Tiramos os apliques em resina e… lixa nela!

 

Sem a prateleirinha de baixo e já corrigda com massa para madeira F12.

Sem a prateleirinha de baixo e já corrigda com massa para madeira F12.

 

Aqui já nos finalmentes, a famosa lixa d´água. Deixa a laca lisinha, lisinha!

Aqui já nos finalmentes, a famosa lixa d´água. Deixa a laca lisinha, lisinha!

 

Já com a cadeira, foi diferente. Pintamos no pincel. Primer e esmalte base água da Sherwin Willians. E muita lixa antes e entre demãos. Ficou branquinha. Depois, pintamos só os pés com uma laca turquesa que eu tinha comprado pra algma coisa. Mas podia ser tinta base água também. Com pincel. E passamos spray branco fosco Colorgin nas divisas. O passo-a-passo?! Não fotografei… Até porque se eu parar pra tirar foto não faço :// Mas tirei a idéia do blog divo daqui, ó! Lembrando que é super exequível e que não usa compressor!

 

e ficou assim!

e ficou assim!

 

detalhe da cadeira pintada, pronta pra voltar pro estofador!

detalhe da cadeira pintada, pronta pra voltar pro estofador!

 

O tecido escolhido pra cadeira não podia ser qualquer um, né! Ele é aquablock, quer dizer qe funciona pra áreas externas também. Daqui, comprei 1 yard, menos de 50 reais. O estofador cobrou 65 reais, com as tachinhas. Então a renovação desta cadeira saiu por 100 reais. Vale, né?!

olha aí a dita cadeira ombré no quarto! Néé?!  <3

olha aí a dita cadeira ombré no quarto! Néé?! ❤

 

detalhe do assento

detalhe do assento

 

detalhe dos pés

detalhe dos pés

 

A escrivaninha com seus puxadores divos da Anthropologie... <3

A escrivaninha com seus puxadores divos da Anthropologie… ❤

 

Só sei que qunado eu vi este par pronto, me senti pronta pra uma bela festa! Cabelo e maquiagem OK! #peruafeelings! Hahahahaha! Sério, vi que tudo ia dar certo e que, de fato, a gente ( eu, marido, irmão, marceneiro, tapeceiro e meninas!) tínhamos feito um belo trabalho e que os quartos iam mesmo ficar prontos! Ufa!!! Não é pra menos, suamos até! Mas olha lá a dupla diva do meu  <3!

 

detalhes da escrivaninha: latinha linda da minha amiga querida Mariana e os puxadores antigos, que limpei com thinner e pintei com colorgin de latinha, no pincel!

detalhes da escrivaninha: latinha linda da minha amiga querida Mariana e os puxadores antigos, que limpei com thinner e pintei com colorgin de latinha, no pincel!

sem legenda

sem legenda

 

Quer entrar, sentar aí?! Só se for pra estudar! Hahaahahaha

Quer entrar, sentar aí?! Só se for pra estudar! Hahaahahaha

 

Quer entrar, ver o quarto todo da Pê? Então não perca cenas dos próximos capítulos, a revelação! E estamos todos os dias no insta ( @deolhonacasa)! Fique à vontade, a casa é sua!

 

 

Anúncios

3 comentários sobre “Uma cadeira ombré e uma escrivaninha diva!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s