Sobre as etapas da vida e um cabelo rosa 

será que ficou bom?

será que ficou bom?

Já falei pra vocês em algum lugar do passado que eu sou oftalmologista.

Tenho 38 anos, duas filhas de 9 e 11 anos, um marido, uma casa e sou oftalmologista.

Agora vou contar a história de como cheguei até aqui.

Na verdade, sempre quis ser médica. Desde sempre. Aos 10 anos, eu entrava no centro cirúrgico com meu pai pra vê-lo operar cataratas e adorava! Eu tinha até uma bizarra coleção de cristalinos com catarata na janela do quarto. Lia revistas especializadas para dormir, believe or not.

Então, com 10 anos, eu já tinha toda uma vida traçada. Maaass… Como o mais fácil nem sempre é o mais gostoso da vida, o que eu fiz?! Não sei se por medo de falhar, se por preguiça de estudar ( vocês lembram que adolescência dá preguiça, né?!) ou se por realmente querer viver num locus amoenus… No ano de prestar vestibular, eu simplesmente decidi que ser médica era levar uma vida muito careta, muito ocupada e preocupada, que eu preferia era cuidar das almas, ao invés dos corpos. Eu seria professora de literatura. E fui. Me formei, viajei pra França quando terminei, fiz mestrado, arrumei empregos como professora em colegiais e cursinhos. Um dia conto esta história direitinho. Ou pelo menos, como me lembro dela. Senão a gente não chega nunca no dia de hoje.

Aí quando eu tinha 25 anos, no meio do mestrado ( que foi sobre os Sermões do Mandato do Padre Antônio Vieira) e dando aula em 2 cursinhos especializados em vestibular pra medicina, eu pensei: Pára tudo!!! Que instituição contraditória é esta de cursinho! Eu não quero ficar o resto da vida trabalhando com adolescentes que pagam uma pequena fortuna pra entrar nas faculdades gratuitas, que são as mais concorridas… Não quero mais ser conivente com esta estrutura perversa de educação e também não quero ficar na academia matando dragões mortos há 4 séculos. Quero falar com gente, ver gente, examinar gente… Quero ser médica!

E assim foi. Entrei 2 vezes numa das melhores universidades do país, a Puc-Campinas. Nesta época, meu marido era namorido e ele tinha acabado de ser admitido no corpo docente desta universidade. Onde ele está até hoje.

Resumindo, a gente se casou em 2003, Penélope nasceu em 2004, no primeiro mês da faculdade; Cleópatra em 2006, nas férias do segundo pro terceiro ano. ( um dia faço também um post sobre esta fase complexa de mãe-estudante de medicina). Acabei a faculdade no final de 2009, trabalhei 2010 no PS, fiz residência médica em Oftalmologia na Unicamp de 2011-2013 e em 2014 fiz especialização em Córnea e Doenças Externas. Ufa.

self com o baby

self com o baby

Então hoje, neste mês, eu começo minha vida adulta. Já passei mais da metade da minha vida na universidade, 20 anos. Tenho 38 anos, 2 filhas de 11 e 9 anos,  marido, uma casa e sou oftalmologista.

E moro em Campinas. Meu marido trabalha aqui, na universidade onde cursei o curso mais caro deste nosso país pervertido com bolsa de estudos de 100% por ele ser professor.

Sou absolutamente feliz em ser médica. Sobretudo em ser oftalmologista. Mais ainda em trabalhar na clínica com meu pai, em Mococa.

Mas pedi um mês de férias. Estes 11 anos me cansaram sobremaneira.

E aqui estou eu, na Philadelphia visitando minha irmã é especialmente meu sobrinho Thomas, que nasceu quase na virada do ano.

Então minha irmã e eu passamos, numa destas tardes frias daqui, este pigmento rosa da Sparks, com pincel. Não se adiciona água oxigenada à "tinta". É só espremer da bisnaga e aplicar.

Então minha irmã e eu passamos, numa destas tardes frias daqui, este pigmento rosa da Sparks, com pincel. Não se adiciona água oxigenada à “tinta”. É só espremer da bisnaga e aplicar.

Eis que, de luzes em luzes, eu descolori o cabelo todo. E achei por bem pintar de rosa. Não é revolta, não é protesto, não é adolescência tardia. É só um marco. Começo minha vida adulta de médica de cabelo rosa. Não sei por quanto tempo vai durar. Não é uma decisão definitiva como ter filhos ou ser médica. Só que eu sempre quis ter cabelo rosa. E acho que nunca é tarde pra pequenas estripulias. Nem que seja pintar o cabelo de rosa ou aprender guitarra aos 40. Se isso o fizer feliz…

A cobertura não é uniforme e o cabelo estava super seco depois de descolorido… E o pigmento vai saindo com o tempo, deixando um rosa pálido que eu estou amando...

A cobertura não é uniforme e o cabelo estava super seco depois de descolorido… E o pigmento vai saindo com o tempo, deixando um rosa pálido que eu estou amando…

E você, quer pintar o cabelo, fazer medicina, aprender guitarra, decorar sua casa? Fique à vontade, a vida é sua!

Fala a verdade… Vocês não estão olhando pro cabelo, né!!!

Fala a verdade… Vocês não estão olhando pro cabelo, né!!!

E você, quer pintar o cabelo?! Quer mudar de profissão?! Quer aprender a tocar guitarra?? Fique à vontade, a vida é sua! ❤

Anúncios

9 comentários sobre “Sobre as etapas da vida e um cabelo rosa 

  1. Que vida louca e deliciosa!! Adorei!! Eu pintei meu cabelo de rosa com 24 anos… também um pouco “tardio” já que queria desde os 10 anos hehe Também moro em Campinas 😛 E antes que me esqueça… aproveita que está passeando por aí e faz uma reconstrução no cabelo 🙂 Sempre que descolorir, faz uma reconstrução para melhorar a estrutura do cabelo e remover o aspecto seco 😀

    :*

  2. Renata Boabaid disse:

    Sou médica e meu sonho sempre foi ter cabelos coloridos. Passei minha vida toda escutando um NÃO dá minha família. Agora, por ser médica escuto da sociedade. Tenho 27 anos e hoje apesar dos meus pais ainda acharem que eu só posso fazer o que eles consentirem eu resolvi pintar meu cabelo. E vou. Tenho um filho de 3 anos e meio e essa decisão é bem difícil. Fico imaginando o preconceito, o julgamento … Faço especialização em psiquiatria e vejo muito preconceito já começando daí . Porém ler sua história me deu mais coragem para seguir em frente com minha decisão. Obrigada! Amei… Médicas de cabelos coloridos.

    • Yay! Eu te apóio, Renata! Vá em frente, deixe o id ganhar de vez em quando! Sobretudo se vc não estiver fazendo mal a ninguém, mas um bem a si mesma! E quer saber?! Minhas meninas adoraram! Ficam sempre pedindo pra eu voltar a ter cabelo rosa! Hahahaha! Mande foto! Um beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s