Cadê o brilho nos olhos que estava aqui? DONC is Back!

bagunca - 17

isso foi antes da mudança. Está bem pior, acreditem… :/

Eu sei que vocês já devem estar cansados de #mimimi. Eu também.

Acontece que eu tô aqui nesta terra quente e promissora de Mococa, sozinha com as minhas pragas, tentando fazer as coisas darem certo. Por coisas entenda-se basicamente a educação e criar as meninas, trabalhar como oftalma, cuidar minimamente da casa de formas que não habitemos uma pocilga. Rotina, organização e trabalho. Fácil, né?! E nem me sinto adulta suficiente pra ser responsável por tantas coisas.

Eis que segunda passada na hora do almoço meu pai recebeu uma ligação e disse: “ah, tá confirmado, sim! A gente vai!… Viu, Diana, quarta à noite na televisão, falar sobre oftalmologia.” Não é uma notícia que se dê assim, né, gente, pra uma pessoa com a boca cheia de arroz e feijão, engolindo com pressa pra levar uma na escola e buscar outra. ( Sim, eu almoço na casa dos meus pais todos-os-dias porque ainda não me programei suficiente para ter arroz-feijão-bife-salada na minha própria morada.)

E a partir daquele momento eu só conseguia pensar em fazer as unhas, o que que eu vou falar e o que eu faço deste cabelo, pelo-amor-de-Deus. Fora a rotina insana com as meninas que, num ato de desespero materno, eu matriculei em períodos diferentes porque elas brigam demais. Agora só sobra a noite pra isso. Aff.

E a quarta-feira chegou comigo ainda no celular, tentando me acalmar à uma da manhã. Eu durmo tarde e acordo cedo. E celular na cama nunca dá certo, é verdade, eu sempre falo pras meninas. E antes do despertador tocar às 5:45h eu já tinha acordado sobressaltada e cansada. Vou passar o uniforme da menina antes de acordá-la, pensei. Bati a mão no criado, pus meus óculos ( eu uso +5,50 pra longe de hipermetropia) e olhei no celular pra ver as horas.

E aí aconteceu o impalpável.

Eu não enxerguei as horas. Nem de pertinho, nem à meia-distância, nem de longe. Meu coração começou a bater na boca e me deu vontade de chorar. Eu sabia que eu ia perder a visão pra perto, mais dia menos dia, pois já beiro os 40. Mas, assim? Sem aviso? Antes do despertador tocar? num dia importante? então começou a tocar o alarme e o meu é o pior possível, aquele de sirene, Pé Pé Pé…

Eu desliguei porque já sabia onde era o botão, sem enxergar. Levantei, me esforçando pra ver algo mais que vultos e caminhei até a cozinha. Eu não contaria pra ninguém. Não posso assustar as meninas. Vou agir com naturalidade. Imagina o susto que meu pai vai tomar?! E os pacientes de hoje, como eu vou atender?! Cheguei na cozinha e decidi fazer uma café forte, aquilo era sono. Acendi a luz da cozinha e… ESTAVA TUDO ESCURO! Meu Deus! Eu acordei cega! Abri a porta da cozinha que dá pro quintal e parecia ser noite, ainda. E se eu vivesse na noite pra sempre, meu Deus?!? Eu estava apavorada demais até pra chorar. Fiquei alguns minutos sentada na mesa da cozinha. De camisola, bafo, óculos e sem chão, sem reação. Eu quero atender as pessoas… eu gosto tanto do que eu faço, mas como?! Eu não vou enxergar as câmeras na TV… Como eu vou fingir?! E foi então que eu tive a melhor idéia de todas. Vou voltar pro quarto, é um pesadelo, eu ainda não me levantei.

Cheguei no quarto e não tinha ninguém deitada na minha cama. Eu era eu e eu estava acordada. Mas…

O que era aquilo sobre o criado?! Franzi a testa pra ver, cheguei pertinho… Lá estavam meus óculos de grau! E no meu rosto?! Óculos de sol, sem grau. O relógio da Igreja começou a bater 6h da manhã, eu já estava atrasada. Ufa… Mais 2 minutinhos, que o dia ia ser longo e eu acabava de surtar… Mas enxergar não tem preço! E eu tenho muita gente pra ajudar!

E vai arrumar esta casa que está uma zona, Diana, honestamente… Ninguém pode viver equilibrando celular, 3 óculos diferentes, cestinha de remédios, creme anti-idade, controles remotos, caderninho de anotação e contas num criado-mudo. Sim, eu sei, podexá. Mas no final de semana, que hoje eu vou falar na televisão! 😛

A entrevista que demos na quarta está aqui, quem quiser ver, será bem-vindo, só clicar!

É longuíssima, mas foi tanto carinho que sou toda gratidão. Me senti voltando pra casa, realmente! Muito obrigada, dra Eliana e TVD, vocês são sensacionais!

E nada como um sustinho básico pra gente se tocar do que é realmente importante nesta vida, né!

Então, amores e amoras, informo com este post-surto que continuo linda, loira e louca como vocês podem ver no vídeo, mas sobretudo que amo muito este blog, que não é só de decoração, nem nunca foi, pra quem não sabia ainda.

Muito breve voltamos a nossa programação normal com faça-você mesma, decore-você-mesma, viva-sua-vida-você-mesma que o ano começou, uhuuu!!! E vou mostrar meu consultório que tá chuchu, tá azul, tem um olho-espelho lindo na porta… Projetinhos da minha cumadi da Paraíba, posts na casa da vó, cola aqui QUE EU VOLTEI! 😛

Por último, mas não menos importante, a fotinha que publiquei no meu IG no dia do nosso ano novo, meu e do meu pai, dia primeiro de fevereiro:

E sim, pode entrar!!! A bagunça é toda minha, mas fica à vontade! SMACK!

 

 

Anúncios

Porque lar é casa com gente

Este ano de 2015 se iniciou com uma grande expectativa de terminar os estudos e começar, enfim, a trabalhar! E comecei.

E meu trabalho é relamente muito gratificante, se pensarmos que eu ajudo as pessoas a verem melhor… <3

E meu trabalho é relamente muito gratificante, se pensarmos que eu ajudo as pessoas a verem melhor… ❤

Como todos sabem, sou oftalmologista e amo o que faço. Já tinha consultório aberto desde o ano passado ( tenho uma sala na Clínica do meu pai, em Mococa) e este ano comecei a operar com ele e a atender 2 dias por semana lá. É indescritível ser reconhecida pelo que você faz de melhor e ama. E ser respeitada pelos pacientes e por meu chefe, no caso, meu pai. Quero fazer isso a vida toda.

Porque eu adoré chegar nesta garagem e ver as minhas suculentas! :P

Porque eu adoré chegar nesta garagem e ver as minhas suculentas! 😛

No entanto, viajar 3000 km por mês pra trabalhar não está nos meus planos. Ganhar dinheiro numa cidade e gastar em outra, também não. Acho que a gente deve investir em quem investe na gente, não é mesmo?! Fora que ter uma vidinha tranquila de interior me agrada. E muito. Acho que as oportunidades que o interior oferecem de tranquilidade pras minhas filhas devem ser consideradas, também.

Eu queria pintar a porta de entrada… Será?!

Eu queria pintar a porta de entrada… Será?!

Marido trabalha em Campinas e dá consultoria em outra cidade, também. Ele adora dirigir e viajar. Após muito poderar, então, decidimos que vamos levar todo nosso lar e nossa bagunça pra Mococa. E vamos deixar um pequeno pouso pros dias que ele estiver trabalhando aqui em Campinas.

E a carranca que fica protegendo a entrada do lado de fora...

E a carranca que fica protegendo a entrada do lado de fora…

O fato, então, é que estamos mudando de cidade. Em breve vamos colocar nossa casinha à venda. Com a maior parte das coisinhas que fizemos nela… A piscina, a hortinha, os quartos das meninas… No começo alugaremos uma casa em Mococa. Até porque vender uma casa não é tão simples assim. E ainda teremos pra onde voltar se não for bem o que imaginamos a nova rotina.

Sim, fui eu que fiz a maior parte das coisas que vocês vêem por aqui, incluindo as fotos, a edição, os posts… E estes espelhos, que ficam bem no mezanino da entrada, foram pregados logo assim que chagamos na casa, com a  respectiva altura da Penélope, da Cleópatra e minha!

Sim, fui eu que fiz a maior parte das coisas que vocês vêem por aqui, incluindo as fotos, a edição, os posts… E estes espelhos, que ficam bem no mezanino da entrada, foram pregados logo assim que chagamos na casa, com a respectiva altura da Penélope, da Cleópatra e minha!

E, não, o blog não vai acabar por causa disto! Em primeiro lugar, porque ainda temos algumas alterações pra fazer nesta casa antes de anunciá-la ( que vai ser lá por outubro ou novembro por causa do ano escolar das meninas!).

Aí você entra e desce as escadas… Tem a galeria Naïf que vai aparecer por aqui jajá...

Aí você entra e desce as escadas… Tem a galeria Naïf que vai aparecer por aqui jajá…

A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte!

A gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte!

Em segundo lugar, porque transformar uma casa alugada em lar não é pouca coisa, não, minha gente, vai ser um desafio e tanto! Confesso que minha vontade era mesmo de pegar minha casa, amarrar um monte de balões e levar tal e qual pra um terreno em Mococa! #Upfeelings… Mas nesta impossibilidade, vamos ver como lidamos com este processo todo!  Porque lar é casa com gente, minha gente! Independente de ser própria ou alugada, este blog fala de transformar 4 paredes num lar!  ❤

Meu caminho de lavandas… Que dor no <3 deixar pra trás...

Meu caminho de lavandas… Que dor no

A hortinha, que agora já vai bem sozinha...

A hortinha, que agora já vai bem sozinha…

E minhas banheiras, que virão comigo! Hahahahaha!

E minhas banheiras, que virão comigo! Hahahahaha!

E a baguncinha nossa de cada dia...

E a baguncinha nossa de cada dia… Seja num domingo comum…

Ou no almoço que o maridex fez pro Dia das Mães...

Ou no almoço que o maridex fez pro Dia das Mães…

Mesmo que a cozinha não seja aquela que eu sonhei e que não vá reformá-la pra ficar do meu gosto...

Mesmo que a cozinha não seja aquela que eu sonhei e que não vá reformá-la pra ficar do meu gosto…

O sofá novo que chegou na sala ainda não terminada...

O sofá novo que chegou na sala ainda não terminada…

Porque LAR, meu povo, LAR, mesmo, de verdade...

Porque LAR, meu povo, LAR, mesmo, de verdade…

É CASA COM GENTE!

É CASA COM GENTE!

E você, quer me ajudar a empacotar as coisas, a escolher a casa nova? fique à vontade, a casa sempre será nossa!

ENTENDEU?! :P

ENTENDEU?! 😛

Chegamos ao jardim…

Ufa! Este blog me deu ânimo novo, mesmo… Agora que já mergulhamos, que tal um repouso no jardim?!
Sempre adorei plantas! Mesmo quando morava no apartamento! E olha que ele era escuro… Um dia, após dar à luz minha segunda menina, pensei: eu tenho crianças, já publiquei livro, preciso plantar uma árvore! E voltei do Ceasa com 2 vasos de concreto armado, 150 kg de terra, uma jabuticabeira e um jacarandá mimoso. São aquelas árvores enormes das ruas que parecem flamboyant, mas dão florezinhas roxas, bem no meu aniversário… Saiu uma matéria na casa Cláudia deste mês.confira aqui
E assim começou meu jardim, há 7 anos! De lá pra cá, matei muitas plantas ( antes plantas que gente…), algumas por regar demais, outras por regar de menos… E três anos depois fomos pra uma casa, alugada, mas casa! Ficava em frente a uma praça linda e com macaquinhos!
E vieram junto a jabuticabeira, o jacarandá, que se somaram a uma pitangueira e uma amoreira, todos em vasos.
A casa tinha umas floreiras na parte de trás, onde plantei hortinha.
Pintei as paredes, uma de destaque em cada quarto, comecei a “decorar”… Achava que isto fazia da minha casa um lar. E, de fato, acho mesmo que este seja um dos critérios que transformam a casa em lar! Afinal, o que é um lar senão uma casa com alma?!
Trazer nossos objetos, nossa memória, nosso jardim… Isto torna uma casa um lar!
Mas, enfim, esboçava um lar, mas não tinha minha terra pra plantar, meu cantinho… E voltou o comichão! Precisávamos da NOSSA casa!!! O dono desta em que estávamos não queria vender, então eu procurei, negociei, financiei… Compramos esta aqui! Do nosso tamanho, pegamos as chaves e mudamos, concordei com o marido que não precisava reforma, era só entrar e morar!
E teríamos um jardim, finalmente!
Só que não. Teve a saga toda da piscina, isso sem falar nos cômodos de dentro! Olhava todos os dias os meus vasos, planejava cada cantinho…
Defini, então, meu paisagismo. O projeto era composto de 5 tipos de jardim: de vó ( na garagem); de praça ( com o jacarandá e o jasmim); tropical ( à beira da piscina); jardim zen e pomar/horta.
Pesquisei, olhei por aí… Eis uns jardins bem convidativos.

20131223-231653.jpg20131223-231725.jpg20131223-231808.jpg

20131223-231932.jpg

20131223-231955.jpg
Aiai… Um mais lindo que o outro, né?! Rede, espreguiçadeira, jardim, mesinha…
Ainda não tenho nenhum destes móveis! Mas decidi que eu tinha que reformar o muro! Precisava de uma torneira de jardim, um chuveirão, um muro decente pra plantar minhas ravenalas! ( claro que eu já tinha ido ao Ceasa e já tinha todas as mudas!)
E assim começou a obra do muro!
Que vai ficar pra um próximo post, mas imagina que cor ele é?!
Não sabe?!
Pode entrar, a casa é sua!