Uma cadeira ombré e uma escrivaninha diva!

Decoração pra mim é que nem maquiagem… Não adianta ficar retocando! Quantas vezes já me atrasei porque um olho ficou diferente do outro, ou um cílio postiço caído e o outro levantado?! E laca é que nem olho preto esfumado… Não deu certo?! Tire tudo e faça de novo! E ombré é esfumado.
Com a cadeira da Penélope não foi diferente.
Fiz o quarto das meninas em 2008, quando Cleópatra saiu do berço. Desenhei as cabeceiras e escrivaninha. Na época, a mulher que se aventurou comigo fazia móveis rústicos em madeira e achamos um artesão que torneasse os pés, outro que sulcasse outro que pintasse ( pedi laca, mas ele pintou de branco, mesmo…) e quando chegamos na cadeira, já estávamos tão cansadas de tanto vai e vem pela cidade com pedaços de madeira, que demos graças por ter achado uma fábrica de cadeiras.
Comprei crua, de Leme, interior de SP. Foi pintada, estofada com um tecido escolhi na amostra do tapeceiro e preguei florezinhas de resina com cola branca que eu mesma pintei. E funcionou. Por anos.
Agora fala pra mim que espécie de mãe louca desenha uma escrivaninha toda provençal com suporte pra CPU pra 2 meninas de 2 e 4 anos?! Hahahahaha!

Escrivaninha arrumada, lembram? Aí à esquerda o suporte pra CPU

Escrivaninha arrumada, lembram? Aí à esquerda o suporte pra CPU

Com o tempo, com o uso, com a bagunça… o pé da cadeira foi roçando no suporte pra CPU e fico todo ralado. O tampo da escrivaninha tinha cedido um pouco. A caixaria e as corrediças realmente tinham deixado a desejar. Então começamos pelo começo com a escrivaninha: arrancamos esta mini-prateleirinha lateral e mandamos pro marceneiro reformar a caixaria das gavetas maiores e substituir as corrediças por outras, telescópicas.

Enquanto isso, lutei com a cadeira, tentando pintá-la com o compressor a cadeira forrada de sanito, o diário de um drama está aqui. Obviamente não deu certo por causa do escorrimento. Decidi, então trocar o tecido da cadeira. E começar pelo começo, ou seja, mandar no estofador pra ele remover o tecido antigo e me entregar a peça pelada pra pintar.

Pois bem. O caso da escrivaninha. Consertou no marceneiro a caixaria. Laqueamos segundo nosso super processo caseiro: lixa, massa, lixa, primer, lixa, tinta laca, lixa d´água, verniz.

As fotos da aplicação da laca não ficaram boas pela névoa que causa… Mas tem um mini-PAP aí embaixo, pra quem ficou com alguma dúvida no primeiro post da laca. Usamos base Nitrocelulose e laca nitrocelulose. A cor foi verde Capri da Ford. Se você reparar bem, já viu um corcel da cor desta escrivaninha… 😛

Nossa cabine de pintura. Fazemos laca caseira na garagem. Lona plástica na parede e no chão.

Nossa cabine de pintura. Fazemos laca caseira na garagem. Lona plástica na parede e no chão.

Tiramos os apliques em resina e... lixa nela!

Tiramos os apliques em resina e… lixa nela!

Sem a prateleirinha de baixo e já corrigda com massa para madeira F12.

Sem a prateleirinha de baixo e já corrigda com massa para madeira F12.

Aqui já nos finalmentes, a famosa lixa d´água. Deixa a laca lisinha, lisinha!

Aqui já nos finalmentes, a famosa lixa d´água. Deixa a laca lisinha, lisinha!

Já com a cadeira, foi diferente. Pintamos no pincel. Primer e esmalte base água da Sherwin Willians. E muita lixa antes e entre demãos. Ficou branquinha. Depois, pintamos só os pés com uma laca turquesa que eu tinha comprado pra algma coisa. Mas podia ser tinta base água também. Com pincel. E passamos spray branco fosco Colorgin nas divisas. O passo-a-passo?! Não fotografei… Até porque se eu parar pra tirar foto não faço :// Mas tirei a idéia do blog divo daqui, ó! Lembrando que é super exequível e que não usa compressor!

 

e ficou assim!

e ficou assim!

detalhe da cadeira pintada, pronta pra voltar pro estofador!

detalhe da cadeira pintada, pronta pra voltar pro estofador!

O tecido escolhido pra cadeira não podia ser qualquer um, né! Ele é aquablock, quer dizer qe funciona pra áreas externas também. Daqui, comprei 1 yard, menos de 50 reais. O estofador cobrou 65 reais, com as tachinhas. Então a renovação desta cadeira saiu por 100 reais. Vale, né?!

<img class="size-full wp-image-1526" src="https://deolhonacasadotcom1.files.wordpress.com/2014/11/cadeirapronta2.jpg" alt="olha aí a dita cadeira ombré no quarto! Néé?! olha aí a dita cadeira ombré no quarto! Néé?! ❤
detalhe do assento

detalhe do assento

detalhe dos pés

detalhe dos pés

<img class="size-full wp-image-1540" src="https://deolhonacasadotcom1.files.wordpress.com/2014/11/escrivaninhadetalhe.jpg" alt="A escrivaninha com seus puxadores divos da Anthropologie… A escrivaninha com seus puxadores divos da Anthropologie… ❤

Só sei que qunado eu vi este par pronto, me senti pronta pra uma bela festa! Cabelo e maquiagem OK! #peruafeelings! Hahahahaha! Sério, vi que tudo ia dar certo e que, de fato, a gente ( eu, marido, irmão, marceneiro, tapeceiro e meninas!) tínhamos feito um belo trabalho e que os quartos iam mesmo ficar prontos! Ufa!!! Não é pra menos, suamos até! Mas olha lá a dupla diva do meu  <3!

 

detalhes da escrivaninha: latinha linda da minha amiga querida Mariana e os puxadores antigos, que limpei com thinner e pintei com colorgin de latinha, no pincel!

detalhes da escrivaninha: latinha linda da minha amiga querida Mariana e os puxadores antigos, que limpei com thinner e pintei com colorgin de latinha, no pincel!


sem legenda

sem legenda

 

Quer entrar, sentar aí?! Só se for pra estudar! Hahaahahaha

Quer entrar, sentar aí?! Só se for pra estudar! Hahaahahaha

Quer entrar, ver o quarto todo da Pê? Então não perca cenas dos próximos capítulos, a revelação! E estamos todos os dias no insta ( @deolhonacasa)! Fique à vontade, a casa é sua!

 

 

Vamos adesivar… Tudo?!

A geladeira aqui de casa estava me irritando! Há algum tempo eu tinha aplicado um adesivo de coração com uma xícara de café, mas ele também estava todo desbotado. Arranquei. Limpei, esfreguei… Mas ainda precisava de um make. Uma base e um blush, pelo menos. Também, a coitada já tem 12 anos. Mas é uma Brastemp. E este ano fez tanto calor que marido e empregada começaram falar que ela não gelava mais. No meu ímpeto de organizar e manter nestas poucas semanas chamei o técnico pra dar uma carga de gás na coitada. Mas fez, de fato, muito calor, mesmo!
Então só faltava o make!

Neste ínterim, minha amiga Ana Carol foi morar com o namorado que foi promovido a namorido e queria opinião pra reformar uma cômoda e uma ex-escrivaninha promovida a penteadeira.

Vamos adesivar tudo, Carol?! Aqui na nossa cidade tem bastante empresa que faz isso por você, mas não vendem os adesivos pra você fazer. Só uma casa de tintas tem. Fomos lá. Enlouquecemos e quase enlouquecemos o vendedor!

20140216-111649.jpg

Estes adesivos são automotivos. As larguras variam de 60 cm a 1,2m. E os preços variam de 3 reais o metro (nacional) a 80 reais o metro do adesivo reflexivo ( tipo aqueles de placa de estrada que refletem, sabe?! São lindos! O único porém é que não descolam nunca, uma vez colados!)

Compramos bons adesivos, numa largura adequada pro que queríamos. Gastamos menos de 40 reais cada uma, fomos embora felizes!
Já tinha visto vários tutoriais de como pregar, principalmente aquele vídeo da acasaqueaminhavoqueria.com e o passo-a-passo do homemdacasa , os dois bem explicadinhos! Motivo pelo qual me excuso de maiores explicações! O fundamental é entender que você PRECISA da espuma de detergente pra não deixar bolhas!
E antes de partir pros móveis da Carol, a bonitona aqui foi encapar a geladeira. Chamei maridowski pra dar uma ajuda… Comecei de um lado. Não, não, Diana! O que você está fazendo? Esta espuma não vai deixar o adesivo colar! Este lado é mais difícil, começa do outro. Descola toooda a lateral e começa do outro… Não, não, acho que não é por aí… o certo é de cima!. Ok… descola de novo. Vamos de cima. Tem muito recorte, tá ficando enrugado aqui… Melhor começar de baixo, amor. Descola de novo. O negócio já tava todo deformado. Minha paciência já tava toda deformada. Aí quando eu me vi deitada no chão da cozinha alisando o adesivo de baixo pra cima, com uma fita crepe segurando a outra extremidade do papel na portaa da geladeira, parecendo um mecânico, eu ouço: então vou trabalhar, amor, volto às 11h da noite. Ah, não! Era demais… Tanto palpite pra não ajudar!!! Nem sei como o adesivo não rasgou dada a fúria com que foi arrancado. O coitado já estava deformado nos quatro cantos!!! Mas… Como eu ia falar pra Carol que não dava certo, que era mega difícil, que eu não tinha conseguido nem começar?
Fui ver os tutoriais de novo. E cada site que eu entrava, tinha uma geladeira adesivada! Poxa vida, sou cirurgiã, não é possível que eu não vá dar conta…, pensava.
No outro dia eu acordei decidida. As crianças saíram pra escola, marido foi trabalhar, minha mega ajudante não tinha chegado ainda. O segredo está na espuma, o segredo está na espuma, repetia como mantra… Peguei a placa de silicone pra papel de parede e fui! Mas pode ser o que você tiver em casa: espátula de bolo de silicone, rodinho de pia, qualquer coisa que alise o adesivo. Em meia-hora estava pronta a parte de baixo!

antes

antes


depois, embaixo

depois, embaixo


detalhe

detalhe


A parte de cima, então, seria moleza! Contact de bolinha para uma geladeira galinha d´angola!
E foi… Ufa! Ainda bem, né, Carol!
o resultado

o resultado


detalhe das bolinhas!

detalhe das bolinhas!


Então fui lá pra casa da Carol.
O primeiro móvel a ser atacado era este! Mais um espelho, vira uma penteadeira!

este era o alvo! Escolhemos um verde menta para o tampo e detalhes

este era o alvo! Escolhemos um verde menta para o tampo e detalhes

ficou assim!

ficou assim!

ficamos impressionadas em como o adesivo brilhante parece laca... Vocês também acharam?

ficamos impressionadas em como o adesivo brilhante parece laca… Vocês também acharam?

A coitada da incômoda antes...

A coitada da incômoda antes…

E ficou assim!!! Os cantinhos deram trabalho! Eu fui embora e a Carol acabou sozinha!

E ficou assim!!! Os cantinhos deram trabalho! Eu fui embora e a Carol acabou sozinha!

Muitos mil parabéns, Carol!!! Orgulhosa das nossas peripécias! E você… Quer entrar? A casa é da Carol, mas ela que chamou a gente!