12 dicas para não arrumar a casa 

Quando eu cheguei aqui em Mococa absolutamente enrolada em plástico bolha, com os móveis embalados em papelão, as pragas, as gatas e os fermentos debaixo do braço, senti um misto de paz com desespero, como se não fossem contraditórios. Paz porque eu sabia que aqui eu seria eu de novo e mais que nunca. Desespero é auto-explicativo.

E eu trouxe comigo a Léia, uma boa amiga técnica de enfermagem em oftalmo que trabalhava comigo em Campinas. A Léia é a pessoa mais organizativa e de iniciativa que eu conheço. Ela organizou os talheres, as porcelanas, achou o papel higiênico e achou a casinha realmente a minha cara. Em dois dias, 100 caixas viraram 20 nas mãos dela. Ela entende mesmo dos paranauês. E os enfeites que ela colocou ali pra depois eu ver pra onde iam, continuam naquele cantinho do móvel. A verdade é que eu não gosto de arrumar. Não lido bem com me desfazer de coisas. Sou véia e quinquilheira e cheia de papeizinhos. E convivo razoavelmente bem com caixas no canto da sala. ( mentchira!)

Ainda tenho, é verdade, 2 caixas no canto da sala e mais uma meia dúzia no banheirinho de fora, é verdade. Às vezes, tiro todo o conteúdo de uma e fico observando onde a faxineira vai acondicioná-los. Hahahaha. O fato é que eu não gosto, mesmo, de arrumar. Sou quinquilheira de alma, coração e convicção. 

E desde que vim pra cá e me separei do Marcão, as meninas ficam finais-de-semanas alternados com o pai. O que me dá 2 grandes atentos: ficar sozinha e não ter obrigação de fazer comida. Tão naturalmente como acordar tarde, descobri a netflix como atividade perfeita pra passar estes minutos de lazer tão solitário e prazeiroso como as melhores coisas devem ser. 

É provável que eu não tenha visto todos estes filmes sozinha, nem apenas uma vez, nem num final-de-semana só. E nem apenas estes. Mas, céus, como me diverti com cada um deles! Se um dia você estiver aí, entediado, clique nos títulos abaixo e confira:

Filmes de família como tema:

1) O que nós fizemos do nosso feriado ( What we did on our holiday)

Confesso que comecei a ver sem grandes expectativas, apenas porque a tradução do título era literal. Mas, cara, eu tenho uma coisa com filmes que se passam na Escócia. E com a sabedoria das crianças e dos velhos. O melhor vô, os melhores netos. Porque todo mundo, no final das contas, é ridículo. O bonito está em conviver e amar as pessoas como elas são, sem julgar, sem brigar.



2) Os excêntricos Tenebaums ( The Royal Tenebaums)

Um clássico que fiz questão que as meninas assistissem comigo. O filme já é antigo ( 2001), mas super plástico, caricato e teatral, como todos deste diretor, Wes Anderson. Quando eu crescer, quero ser como a mãe desta família, interpretada pela Anjelica Houston. Enquanto isso não acontece, continuo como Margot, fumando escondido e mergulhada numa  banheira. Certamente vocês conhecem todos os atores e todas as músicas. E vão se apaixonar por Royal Tenebaum, o patriarca.


3) Questão de tempo ( About time)

E se você pudesse voltar no tempo, o que faria de todos os seus dias?! Tim, um mocinho ruivo e desajeitado do interior da Inglaterra, recebe esta informação de seu pai quando completa 21 anos. E tem a melhor música do Nick Cave no filme, que me faz chorar sempre. Se fosse eu?!? Leria o tempo todo. Sim, eu sou o pai. Delícia de filme, pra ver e rever e olhar com mais carinho seu cotidiano; quase um filme de auto-ajuda.


4) Colegas

Este é o único brasileiro da lista e nem por isso deixa a dever pra nenhum outro. São 3 jovens com síndrome de Down que fogem do instituto onde moram pra realizar seus sonhos. Gente que anda de fantasia, que fala que ama e ama mesmo, que são loucos por Raul Seixas e que fazem o casamento mais lindo do mundo. E que decora falas de filmes. A-do-ro filme que fala de filme. Você tá é muito loko se não vir este filme. Ri e rio horrores. #merepresentam #tocaRaul !!!


5) Final de semana em família ( Family Weekend)

Se eu morasse num lugar que neva muito, eu seria muito preguiçosa, tenho certeza, muito ao contrário da menina deste filme, que é uma puladora de corda profissional. Uma família de 4 filhos, com cada um dos integrantes bem caricatos, incluindo a avó, mãe do pai. And the Oscars goes to… A irmã atriz de 10 anos que começa interpretando Íris, uma prostituta de 12 anos vivida por Jodie Foster em Taxi Driver ( 1976); encerrando com Alex, de Laranja Mecânica ( 1971). Já falei que adoro filmes que tem filmes dentro?! A decoração e a paisagem são um capítulo à parte.


6) Ligados pelo amor ( Stuck in love)

Quem nunca quis ser escritora nesta vida?! E quem nunca teve um amor obsessivo?! Atirem a primeira pedra apenas após ver o filme. Sim, todo muito é lindo, magro, escritor e vive disso no filme. Depilem o coração antes. Foquem na paisagem, big picture, fogs.


7) De bico calado ( Keeping Mum)

O filme é de 2005 e nem por isso deixa de ser engraçado. O humor negro dos ingleses me agrada muito e o fato de existir apenas a Maggie Smith para todos os papéis de véia da Grã-Bretanha na me incomoda em nada, visto que ela é bastante versátil. Delícia observar o sotaque e a casa típica de uma família britânica por dentro. No caso, a do reverendo Goodfellow. Amo as camas, os papéis de parede, a bagunça nossa de cada dia. E que família não é disfuncional, não é mesmo?!

Comédia de máfia

8) Rock’n’rolla – a grande roubada ( Rock’n’rolla)

Mais ingleses atrapalhados com sotaques. Gerard Butler protagoniza a melhor cena de sexo, ever, com a bandida do filme, magra, linda e que fuma loucamente. No maior estilo Jogos, trapaças e 2 canos fumegantes

 https://youtu.be/U0wQXwUtSE


Comédias românticas 


9) Escrito nas Estrelas (Serendipity)

Comédias românticas bobas tem, sim, seu valor de entretenimento. Eles se encontram por acaso ao tentar comprar o último par de luvas pretas no Natal e se apaixonam. Ela escreve seu nome e telefone na capa de um livro ( O amor nos tempos de cólera) – que vem a ser um dos meus livros preferidos desde sempre – e ele, numa nota de 5 dólares. E a gente fica torcendo o filme inteiro praquele livro voltar pra ele e praquela nota voltar pra ele. Fora que a definição de serendipidade é maravilhosa. Assim como o mocinho do filme. 


10) Today’s Special 

Um chef sofisticado e bem presunçoso que tem que assumir o restaurante indiano decadente do pai depois que ele sofre um infarto. O filme dá fome. Eu chorei. Também tenho esta coisa com histórias de filhos que voltam pra casa e continuam a fazer o que o pai faz.

Filmes Argentinos


11) O segredo dos seus olhos ( El secreto de sus ojos) 

Fui ver este filme à época porque eu já tinha esta coisa com olhos, acho que foi em 2011, no primeiro ano da residência de oftalmo. Um homem pode mudar tudo nesta vida: endereço, nome, rosto… Mas não pode mudar sua paixão. Tem suspense, tem romance, tem drama. É a história de um oficial de justiça que escreve um romance sobre um crime que ele investigou há 25 anos.


12) Um conto chinês ( Un conto chino)

Como o mesmo ator do filme anterior, Ricardo Darín. Por isso, aliás, fui vê-lo. E amay Roberto sendo um vendedor de pregos rabugento, colecionador e véio. Daquele tipo cujo mau humor é risível, bem meu número. Some-se a isso o fato dele colecionar notícias absurdas e de aparecer na vida dele um chinês que não fala nem compreende uma palavra de espanhol. E que ele não imagina como tirá-lo da sua vida.

O fato é que existem muitos jeitos de procrastinar, embora ver filmes seja o meu preferido. Todos estes títulos continuam disponíveis na netflix e vários tem completos no YouTube também. Ou nestes torents da vida que eu não sei usar. 

Dizem que está tendo olimpíadas no Brasil também. Não só no rio, mas passando em vários canais.

E você, faz o que pra enrolar quando não quer fazer alguma?! Vê filme também?! Pode entrar, já estouramos até a pipoca! 😛

Anúncios

O ANTES da nossa SALA de TV: 5 dicas do que não fazer

Eu sou uma pessoa chata. Chata, mesmo. E eu sei disso. Podia dizer que sou obstinada ou determinada, mas sou chata e insistente da idéia fixa. Aquelas que ficam na nossa cabeça como mosca de banana. Além disso, ainda sou desorganizada e desfocada.
Preguiça master em arrumar as coisas, a vida.
Sei que tudo flui melhor quando se é organizado. Sei que de tempos em tempos a gente tem que fazer uma revisão e separar o que não usa mais pra dar, destralhar.

Acompanho blogs de organização, da vida, da casa, do trabalho. Luto contra isso e tento implantar hábitos organizativos, mas não duram muito. Eu junto cacarecos, lembranças, papeizinhos… Coisas que um dia podem me servir pra alguma coisa ou que são apenas uma lembrança de um momento bom.

Junte-se à chatice e à quinquilhirice uma pitada de tudo-ao-mesmo-tempo-agora. Faço um monte de coisas: sou mãe, trabalho, estudo, quero pintar paredes, colocar porta onde não tinha, bordar ponto cruz, fazer capa de colchão, azulejos personalizados com uma obra de uma inglesa para a área do churrasco. O resultado às vezes é catastrófico, às vezes brilhante.

Mas por que este mimimi logo agora?!, você há-de me perguntar.
Se você me conhece ou meu blog há algum tempo, já deve ter percebido isto tudo que falei. Se não, é sempre bom sabermos com quem estamos lindando! Hahahaha! Calma, sou do tipo louca mansa.
Escrevi tudo isso porque se reflete na decoração da minha casa. E como este é um blog sobre isso, acabo fazendo muitos projetos e planos ao mesmo tempo, deixando alguns pelo caminho sem terminar. E às vezes enjôo antes do fim.

Nossa sala de TV, por exemplo. Não aguento mais olhar pra ela. Entro e passo reto. Tentei achar os 5 erros que cometi aqui. E acho que, na verdade, são bem comuns nos amadores de decoração, como eu. Confere aí, às vezes pode te ajudar:
1) falta de planejamento ou ‘cadê o pinterest que estava aqui?’

Carece explicação?!

Nem é intecional, né, gente! Não é todo mundo que pode contratar um profissional da área E refazer os cômodos, nem que seja 1 por ano… Aí acontece que você vai comprando um sofá de uma cor, um rack na promoção de janeiro, póe um cacareco de Poços de Caldas em cima e quando vê… Cadê aquelas referências lindas que você foi buscar no Pinterest?! Parece alguma coisa com a sua sala?! Pois é, nem a minha.

cadê o pinterest que estava aqui?

cadê o pinterest que estava aqui?

2) Insistir no erro ( escolha bem seu ponto de partida!)

Se você tem um móvel-derrota, não será ele seu ponto de partida para a decoração.
Nosso sofá foi fruto de um piti. Tive um parto super complicado da Cleópatra, destes de quase morrer, mesmo, cheguei em casa e dei um piti porque não tinha um sofá. Disse ao marido que não voltasse sem um sofá. Que se virasse. Ele pôs alguns critérios na cabeça dele: que fosse imenso; de couro; com almofadas do assento e do encosto soltas e me voltou com esta estrela aí. A cor provavelmente foi inspirada no nosso momento RN, misto de cocô com vômito. E sofá é coisa cara, né, gente! Pra trocar vai uma vida…

O sofá derrota. E vejam bem, minha filha tem quase 10 anos!!!

O sofá derrota. E vejam bem, minha filha tem quase 10 anos!!!

Aí, bem.. Já que eu ia ficar com esta maravilha, comecei a pensar na sala com tudo combinandinho com o sofá… Vai vendo!

3) Paleta existe, é importante e você deve gostar das cores!

Verde-musgo? Amarelo? Vermelho queimado? Precisa explicar mais?!

Composé do papel de parede ornando?!
Ainda mais se o composé em questão orna com o móvel derrota que foi seu infeliz ponto de partida!

paleta - é importante gostar dela.

paleta – é importante gostar dela.

Então, né.. Não gosta da cor?! Por que, então, vai por na sua sala, que você olha todo dia?! Néammm?! E como vai por num papel de listras ocre-verde musgo-vermelho queimado um monte de desenho colorido das suas pragas?!

Tem hora que nem santo salva!

Tem hora que nem santo salva!


4) Mudar de estilo no meio ( ou ‘não saber para onde está indo’)

Existe?! Sério mesmo qe alguém neste mundo acredita que jornalismo é imparcial, que tanto faz em quem você vota, que comprar uma coisa neutra é atemporal?! Vou de preto porque é atemporal, é basiquinho! E?! Eu sou basiquinha?! Gente, e náo tenho um sapato preto! Mas tudo bem…

Voltando pra decoração: todas os estilos são datados. Não ter estilo e parecer com uma loja de decoração também é datado ( E parece estar com os dias contados); usar pallets é datado e o faça-você-mesmo também o é. Enfim. A pessoa está fazendo uma sala de vó, com papel de parede ornando e tudo (#mejulguem #mecondenem) e põe um rack super modernoso. Então…

um lado - ou o reflexo de uma tragédia

um lado – ou o reflexo de uma tragédia

se você já errou nos móveis e na paleta, mudar também o estilo não te absolverá

o outro lado

o outro lado

5)Não admitir o fracasso ( ou ‘a preguiça de começar tudo de novo)

agora que você conseguiu ornar o que não tinha como, parabéns! fez uma em decoração cagadas, não um decoração em camadas…

salaTVgeral5

Sério, agora… Eu entro aqui e penso que da próxima vez que eu for operar em Mococa a Candice Olson ou a Bel Lobo bem que poderiam me fazer aquela revelação! Eu choro e com vontade… De felicidade!

sala de TV

Faça-você-mesmo?! Mas eu já pus o papel de parede derrota! Agora vou ter que arrancar?!?!

Tô meio desesperada, amigues! Ou vou pintar a sala toda de branco, ou contratar alguém pra fazer um projeto decente ou OS DOIS!

E você, quer entrar?! Fica à vontade… Apague a luz quando sair!

Organização parte 1 – Armário dos tecidos

Era uma vez um monte de tecidos. Cada vez que eu fazia uma roupa, comprava mais 3. Preciso dizer que eu faço muitas roupas. A maior parte das minhas, aliás. Mas não sou eu que faço, com minhas mãozinhas! Tenho uma ótima costureira há 11 anos. Por isso compro tecidos e composições. Até que um dia eu fui na casa do meu compadre Gabriel pegar o tampo de vidro da mesa que ele nos deu e achei mais uma porção deles. Uma amiga que era estilista mudou de cidade, de vida, de objetivo na vida. Deixou de herança caixas de tecidos que eu podia escolher. Levei vááários pra casa! Olha lá…

tecidos lindos ganhados!!!

tecidos lindos ganhados!!!

Só que quando eu cheguei em casa com aquele monte de tecidos e mais o monte que eu já tinha… Deu stress, deu briga e confusão. Primeiro porque eu não sou uma pessoa organizada. Nunca fui. Sou daquelas que acha que pode encontrar tudo na sua própria bagunça, que eu me entend com ela ( minha bagunça) super bem, obrigada. E também não admito que pessoas alheias arrumem ou mudem a bangunça de lugar.

Neste caso específico dos tecidos, eu ocupo o armário de uma suíte que fica anexa à sala de jantar, onde até bem pouco tempo eu abrigava uma funcionária que dormia em casa dia de semana pra quem eu pagava toda minha bolsa de residência para poder estar disponível pra residência. Pois é. Paradoxos do mundo moderno à parte, reconquistei o quarto, minhas noites de sono em casa e mais tecidos. Bem mais tecidos. E uma vontade incontrolável de transformá-los em algo que não ficasse guardado. Conquistei também um piti do marido quando viu todos expostos no quarto.

;

20140330-135212.jpg

20140330-142741.jpg

20140330-142751.jpg

20140330-142804.jpg

Este foi o meu resultado até agora… Ufa! Cansei!!! E ainda tem mais um monte de cômodos pra organizar!!!
Quer entrar?! Fique à vontade, a casa é sua! ( Só não repara a bagunça!)