Phili feelings

Este passeio aí fizemos em dezembro de 2011! Delícia!

Este passeio aí fizemos em dezembro de 2011! Delícia!

A Philadelphia é a capital da Pensylvania e foi a primeira capital dos Estados Unidos. Foi lá que Benjamin Franklin declarou a independência americana. Lá tem o sino da independência e tem um passeio histórico lindo de charrete pelo centro histórico, que fizemos no Natal de 2011.

Nosso passeio foi no cair da tarde e no final, as meninas puderam dar cenouras pra Princess, a égua que conduzia a charrete e que tinha um penacho na cabeça! Na foto somos eu e a Pê.

Nosso passeio foi no cair da tarde e no final, as meninas puderam dar cenouras pra Princess, a égua que conduzia a charrete e que tinha um penacho na cabeça! Na foto somos eu e a Pê.

 

E minha irmã com o Léo dentro e a Cleo no outro banquinho!

E minha irmã com o Léo dentro e a Cleo no outro banquinho!

A cidade é toda planejada, super cartesiana, sendo as ruas numeradas de 1 a 60. A rua 1 fica na beira do rio. Todos os quarteirões tem 1 km, sendo o da esquina número 1900 ( se fica entre a 19 e a 20, p.ex) e sempre par do mesmo lado e ímpar, do outro lado. Pra todas as ruas. Até eu, que sou super mal orientada no espaço, tenho dificuldade em me perder lá. Por exemplo: o número 1900 fica na esquina da rua 19, no lado par. Os prédios são históricos e é linda de viver! Mais informações sobre a cidade da Philadelphia você encontra no site oficial ou neste site oficial de turismo, que é ótimo também.

 

Só que desta vez, não fiz grandes passeios, não. Eu vou visitar a pessoa e me aboleto na casa dela! Hahahahahahaha! Sério, até minha irmã falava: você não vai sair, passear? … Meu único passeio quase diário era a ida a Anthropologie, que eu amo de paixão, apesar de ser cara de doer! :/

Vitrine da Anthro, esquina da Chesnut com a 18. <3

Vitrine da Anthro, esquina da Chesnut com a 18. ❤

A cidade é antiga mas se moderniza. Prédio histórico refletido na obra, esquina da Market com 19. Tirei a foto pra mostrar pro Léo, que é louco por carros e equipamentos.

A cidade é antiga mas se moderniza. Prédio histórico refletido na obra, esquina da Market com 19. Tirei a foto pra mostrar pro Léo, que é louco por carros e equipamentos.

 

Prefeitura

Prefeitura

 

Ponte, de dentro do carro. Sim, houve dias de frio de doer.

Ponte, de dentro do carro. Sim, houve dias de frio de doer.

 

Ritenhouse; praça linda em frente à Anthro. Mais linda ainda com neve.

Ritenhouse; praça linda em frente à Anthro. Mais linda ainda com neve.

 

neve derretida molha tudo

neve derretida molha tudo

 

Fiquei impressionada em colocarem as mesinhas pra fora numa tempestade neve.

Fiquei impressionada em colocarem as mesinhas pra fora numa tempestade neve.

 

Neve castigando as plantinhas...

Neve castigando as plantinhas…

Então, seguinte, como não sou uma viajante exímia e gosto mesmo de ficar na rotina das casas que visito ao invés de bater perna o dia inteiro, separei algumas fotos que fiz nos últimos dias na Philadelphia.

Darth Vader foi meu assitente em passeios pela vizinhança para assustar os transeuntes. :)

Darth Vader foi meu assitente em passeios pela vizinhança para assustar os transeuntes. 🙂

 

Arch st; rua movimentada

Arch st; rua movimentada

 

Igreja linda; não sei como se chama e nem entrei lá, mas funciona uma escolinha no salão e as crianças brincam aí quando faz sol, mesmo frio. <3

Igreja linda; não sei como se chama e nem entrei lá, mas funciona uma escolinha no salão e as crianças brincam aí quando faz sol, mesmo frio. ❤ 

povo educado

povo educado

esquina de casa; a igreja

esquina de casa; a igreja

casinhas <3! Todas grudadinhas e sem quintal. Cada uma com 3 ou 4 andares.

casinhas <3! Todas grudadinhas e sem quintal. Cada uma com 3 ou 4 andares.

Esta edificação era a minha predileta. Não cheguei a saber se era uma casa só ou um prédio. çreio que seja um predinho. Amo de paixão os tijolinhos à vista...

Esta edificação era a minha predileta. Não cheguei a saber se era uma casa só ou um prédio. çreio que seja um predinho. Amo de paixão os tijolinhos à vista…

E o fato dos tijolinhos serem a testemunha das alterações feitas no imóvel através dos tempos.

E o fato dos tijolinhos serem a testemunha das alterações feitas no imóvel através dos tempos.

detalhe do mesmo prédio no andar de cima.

detalhe do mesmo prédio no andar de cima.

dos meus passeios prediletos era andar pela vizinhança...

dos meus passeios prediletos era andar pela vizinhança…

E levar o Léo na pracinha. <3 Fora que eu escorregava com ele quando ninguém estava olhando! :P

E levar o Léo na pracinha. Fora que eu escorregava com ele quando ninguém estava olhando 😛

 

Leo, eu e Benjamin.

Leo, eu e Benjamin.

 

Até que o sol voltou na rua calma com nome de pé de fruta...

Até que o sol voltou na rua calma com nome de pé de fruta…

 

… a primavera chegou definitivamente e eu vim embora pra cá! <3

… a primavera chegou definitivamente e eu vim embora pra cá! ❤

 

Obrigada por me receberem, por pegar os meninos no colo… Eu tava morrendo de saudades! ❤

Ainda teremos alguns posts desta pequena viagem que me fez tão bem pra alma, espero que gostem! E peço desculpas por algumas fotos deixarem a desejar, pois muitas vezes eu só levava mesmo o celular…

Nos próximos posts ainda vou mostar pequenas andanças por algumas lojinhas, uma escola bacana, o quarto dos meninos, a festa do Leonardo… Mas quero ver se acabo em breve este ciclo de posts da viagem, que tenho uma notícia bombástica pra depois deles ( não é gravidez!) e um monte de projetinhos bacanas… #aguardem.

E você, quer viajar? Como se comporta na casa dos outros e fora do país? Me conta!!! Quer saber o resto da viagem? Fique a vontade, a Phili é sua!!!

 

Anúncios

Viajar é preciso

Desde que o mundo é mundo, o homem vai e vem por aí. Não é por acaso que a Odisséia de Homero,que é talvez o primeiro relato escrito de quem se tem notícia ( do séc VII a.C.), seja a história da volta de Ulisses para Ítaca, onde Penélope o esperava. E as aventuras ímpares de Ulisses geraram esta obra magnífica. Nem preciso dizer o quanto ela me seduz. Tanto que nomeei minha filha por Penélope. Tamanho prazer me dá pronunciar todos os dias da minha vida este nome. Quem quiser ler em versos, a versão de Manoel Odorico Mendes em português está aqui. Tem também uma edição linda pra crianças da Ruth Rocha. Tem aqui para baixar, mas não tem as ilustras lindas do marido dela. Se puder, compre o livro. Livro a gente compra quando pode e lê quando der. Porque cultura nunca é demais. E mais informações sobre a Odisséia pela tia wiki estão aqui.

Enfim, Ulisses foi pra batalha de Tróia e voltou.

indo

Os portugueses (ah, estes portugueses..) se aventuraram num mar que era plano tinha fim pra descobrir que a terra era redonda e que do lado de cá havia índios. E nos deram esta língua de infinitas possibilidades em que você me lê agora e aquela certidão de nascimento tão linda quanto protocolar, onde se lê que que “nesta terra, em se plantando, tudo dá” e que temos “águas infindas”; que é a Carta de Pero Vaz de Caminha, versão original aqui e com ortografia atualizada aqui.

vindo

Viajar é do ser humano. Saber deixar e ter pra onde voltar é um grande alento. Não há porque sofrer. Eu deixei minhas filhas, meu marido, minha casa, o Bruno e dona Ana zelando por eles na minha ausência. Deixei recomendações escritas e como separar a roupa, ligar a máquina e reaproveitar a água.

nos3

descabelada, de pijama e óculos, eles ainda me amam! <3

descabelada, de pijama e óculos, eles ainda me amam! ❤

Fui cheia de saudades do meu menino grande de 3 anos e do pequeno que não conhecia. Fiquei com minha irmã nas madrugadas insones, nas tardes bagunçadas na cozinha e no supermercado. Rimos das nossas piadas internas e de quando éramos crianças. Falamos português em público porque esta é nossa língua materna. Fiz caramelo de flor de sal pra eles e bolo de chocolate no domingo (quem segue @deolhonacasa já viu!).  Dei banho todos os dias no pequeno. Eu adoro neném. E adoro o Leo também. Amo de paixão minha irmã e sua família mesmo estando a mais de 10 mil quilômetros de distância, mesmo vendo 2 ou 3 vezes por ano. Mesmo não estando presente nos nascimentos dos meus sobrinhos, que eu chamo de filho também.

banho

Voltei com sede dos beijos da Penélope, da Cleópatra e do marido. Da minha cama, do restinho das minhas férias, do blog e cheia de coisas pra contar. Viajar é bom. Você leva seus problemas e questionamentos pra passear e eles vão esmorecendo, vão virando outras coisas no caminho. Eles diminuem, a gente cresce. E a saudade dos que ficaram?, há você de me perguntar. A saudade taí mesmo é pra gente sentir. E só a gente, falante de português sente, porque não tem em outra língua. ( Como será que eles fazem, não?!)

voltando da escola

E voltar é pra mim tão bom quanto ir. Mesmo descobrindo que o marido não foi ao mercado e deixou faltar arroz, feijão, sal, papel higiênico e sabonete. Mesmo fazendo uma bagunçona ao abrir a mala que eu demoro semanas pra guardar. Mesmo sendo parada na alfândega por ter cabelo rosa e uma mala enorme. Mesmo voando na classe econômica. É muito bom ter um lar pra voltar. E muito bom ter uma família linda lá longe pra gente sentir saudades. Viver é impreciso.

E todo este post me deu um sei lá o quê melancólico português, uma nostalgia do tempo que tudo que eu queria era passar as tardes lendo Padre Vieira e ser letrada. Bons tempos. Viva Don Sebastião. E você, quer pegar um livro emprestado, fazer uma viagem? Pode entrar, estou de volta! 😛